Osteoporose: o tamanho do problema

Para entender como isso se apresenta, observe essas figuras:

Verifique como a cortical óssea está mais fina no osso com osteoporose. Além disso, observe como o trabeculado, no interior do osso, ficou mais delgado, com áreas de descontinuidade (microfraturas) e lacunas

Quando isso acontece, o osso fica mais frágil e com maior risco de fraturas. Até mínimos traumas, como um espirro ou movimento brusco, podem levar os ossos a fraturarem. Isso é um problema sério de saúde pública. Até uma de cada três mulheres e um de cada cinco homens com mais de 50 anos sofrerão uma fratura osteoporótica.

É uma doença da terceira idade, portanto torna-se cada vez mais prevalente numa população cuja expectativa de vida tem aumentado significativamente nos últimos anos. Infelizmente, mesmo nos países desenvolvidos, apenas metade dos portadores são diagnosticados e tratados adequadamente. Em nosso país esse desconhecimento é ainda maior.

As fraturas mais comuns são as de vértebras, punho (frequentemente rádio e ulna, juntos), braços (úmero) e fêmur. Elas podem causar dores severas, deficiências e restrições dos movimentos. As fraturas vertebrais podem levar a uma redução da altura da pessoa, além de uma cifose (corcunda) progressiva.


Observe, na imagem das mulheres, a curvatura progressiva da coluna, com evidente prejuízo da respiração e digestão. Na imagem das vértebras, observe a redução de altura do corpo vertebral fraturado. Essa fratura pode ser intensa a ponto de deixar o corpo vertebral completamente achatado

Em mulheres com mais de 45 anos, a osteoporose pode levar a mais dias de internação hospitalar do que doenças consideradas mais sérias, como o diabetes, ataques cardíacos ou o câncer de mamas.

A fratura do quadril (a fratura mais grave e perigosa) com frequência leva a um declínio importante na qualidade de vida da pessoa. Mais de metade dos pacientes passa a depender da ajuda de terceiros, perdendo a sua independência nas atividades pessoais (como vestir-se, cuidar da própria higiene, alimentar-se, etc). Além disso, 20-25% das pessoas que fraturam o fêmur morrem em menos de um ano.

Você já deve ter entendido: Ossos fortes, aliados a músculos fortes, permitirão que você tenha um futuro ativo, dinâmico e independente. O estado de saúde de seus ossos pode determinar a sua qualidade de vida nos próximos anos! Sugiro três ações para ser proativo em relação a esse problema:

  • Você pode descobrir se tem risco de desenvolver osteoporose, respondendo a esse simples questionário que a IOF (International Osteoporosis Foundation) desenvolveu, acessando aqui.
  • Você pode aprender a prevenir ou retardar o surgimento da osteoporose, leia aqui.
  • Você pode aprender sobre o conceito de “casa segura” e como reduzir quedas, acessando aqui.

Fonte: Osteoporose

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print

Deixe um comentário

Categorias