Células tronco para tratar artrose de joelho

A artrose de joelho vai afetar 2/3 da população mundial e a chance aumenta quando se pratica corrida, basquete, vôlei.  Esse desgaste acontece porque a camada protetora do joelho chamada cartilagem vai gastando ao longo da vida.

Para proteger esta cartilagem devemos:

  • Evitar excesso de peso;
  • Praticar uma atividade física regular e de baixo impacto(caminhada) e duração média de uma hora.

A confusão começa aqui: como a atividade física pode ser um causador de lesão e ao mesmo tempo protetor de lesão?

O segredo está no equilíbrio entre intensidade/carga/duração.  Se for realizar exercício pesado/intenso, a duração deve ser curta. Uma natação, por inofensiva que possa parecer,  se treinada todo dia com muita intensidade causa artrose no ombro por volta dos 50 anos…

Hoje sabemos que a musculação é fundamental para evitar a artrose dos joelhos, pois quando bem trabalhada pode absorver até 50% da carga do joelho, diminuindo a carga repassada para a cartilagem.  Entenda bem trabalhada como equilíbrio; treinos de musculação devem ser acompanhados por um personal ou no mínimo um professor supervisor, para ajustar o tipo de treino ( Resistencia ou Força) e a técnica correta de execução. Se for um paciente de pós operatório, grande parte da reabilitação deve ser realizada por um(a) fisioterapeuta com experiência em treino esportivo, pois o tipo de reabilitação pode acelerar ou atrasar seu retorno ao esporte.

Voce tem dor no joelho, passa no ortopedista e ele te recomenda fisioterapia. Já fez a fisioterapia mas a dor no joelho não melhora, e agora?

Chegou a hora de você buscar ajuda mais especializada,  procurar um ortopedista com experiência em medicina esportiva.

Quando se fala em medicina esportiva, podemos oferecer outros tratamentos, outros tipos de abordagem.

Quando se fala em medicina esportiva e desgaste de cartilagem você vai precisar realmente de alguém especializado. Os novos tratamentos para desgaste de cartilagem tem mostrado resultados impressionantes, com a estatística mundial falando em 70% de bons resultados. Estes novos tratamentos não são uma substituição, mas sim uma adição aos tratamentos que já existem. Podemos falar em três tratamentos basicamente:

  1. Injeções para desgaste de cartilagem;
  2. Plasma rico em plaquetas;
  3. Células tronco.

Neste texto falarei sobre o tratamento com células tronco .

O implante autólogo (da própria pessoa) de células  tronco (de cartilagem )está sendo muito estudado no mundo todo, pois a população que vai precisar deste tipo de tratamento também aumenta ano após ano. Este tratamento consiste de coletar células de cartilagem e cultivá-las, para depois reaplicar no joelho.  Este tratamento já se usa na Europa e EUA ha 8 anos e no início se usava para corrigir defeitos na cartilagem ao redor de 4-5 cm2, tipo buracos onde estes células tronco vão ser implantadas. No ultimo ano começaram a realizar testes aplicando esta cultura de células tronco em defeitos maiores, com bons resultados.

Estive no congresso Mundial de Cartilagem (ICRS 2013) que ocorreu na Turquia em Setembro e lá notei que há muitas dificuldades neste modelo de tratamento, seja pelo custo ( ao redor de 30000 dólares), seja porque não há como garantir que o resultado será ótimo ( veja este outro texto com resumo do congresso).

Enquanto o implante de células tronco não fica mais acessível, existe outro tratamento com plasma rico em plaquetas que neste congresso também foi muito estudado. O plasma rico em plaquetas consiste em retirar sangue do cliente e realizar um concentrado só com as células de sangue que tem fatores de crescimento, chamadas plaquetas. A bióloga faz o preparo que é então aplicado no local da artrose. No Congresso muito se falou de ser a possibilidade mais próxima antes de implante de células tronco.

Importante lembrar que o plasma rico em plaquetas está ganhando espaço no tratamento da artrose mas ainda não é aceito por alguns médicos. No tratamento de lesões musculares já usamos ha pelo menos 4 anos, com excelente resultado. No esporte profissional toda semana tem notícia de algum atleta aplicando plasma rico em plaquetas, veja Kobe Bryant, Rafael Nadal, Jorge Henrique, etc

A aplicação com  deve seguir um protocolo onde será parte do tratamento, para aumentar as chances de bom resultado

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print

Deixe um comentário

Categorias