Alimentação pré-treino

Iniciar o treino alimentado adequadamente irá propiciar a realização do exercício com maior eficiência, menor fadiga e maior tempo de execução. Por esses fatores, a refeição pré treino tem enorme importância.

Em resumo, destaca-se:

  1. Garantir o fornecimento de energia para o musculo trabalhar adequadamente.
  2. Melhorar as reservas de carboidratos para que, durante a atividade, o musculo continue a receber a energia necessária para as contrações.
  3. Suprir parte das demandas de nutrientes do exercício, de modo a garantir melhor recuperação pós treino.

Logo, iniciar o treino com 4 – 6 – 8 horas de jejum é uma conduta bastante equivocada se pensarmos em nutrição esportiva visando maximizar a performance

Lembrando que, melhora de performance, tem vários significados:

  • Mais força e desenvolvimento muscular na musculação e cross fit, por exemplo
  • Mais energia para treinos aeróbicos intensos e / ou prolongados (ciclismo, corrida, triathlon, aulas duplas de circuito e spinning…)

Voltando ao pré treino, a conduta atual segundo diversos orgãos de pesquisa no esporte, como o International Sports Science Institute, American College Sports Medicine, Comite Olimpico Internacional e outros é:

1 refeição maior distante cerca de 2-3 horas antes do treino + 1 refeição menor 45 minutos antes do treino

Compondo estas refeições temos:

2-3 horas antes uma refeição mais completa incluindo os principais grupos de alimentos

  • Vegetais fontes de fibras, vitaminas e minerais
  • Vegetais fontes de carboidratos 
  • Alimentos de origem animal / vegetal (fontes de proteínas)
  • Alimentos fontes de gorduras vegetais e animais

Portanto, um prato balanceado contendo saladas, grãos, raízes e carnes que fornecerá aproximadamente 4-6g de carboidratos por kilo de peso corporal

Nesta refeição, o indice Glicêmico deve ser levado em consideração.

Indice glicemico de um alimento / uma refeição é a capacidade que esse tem em elevar a quantidade de açúcar do seu sangue
Por exemplo, ao consumir maltodextrina, pão, batatas, arroz branco, manga, banana macarrão, estes alimentos elevam muito rapidamente o açúcar do sangue, a glicemia.

Por outro lado, alimentos como carnes, gorduras, maçã, lentilha, salada, ervilha, palatinose, waxy maize têm baixo indice glicemico, elevando muito gradualmente a glicemia.

O indice glicemico na refeição maior (2-3 horas antes do treino) – tem o efeito do treino de garantir melhor recuperação do estoque de carboidrato no corpo, deixando-o próximo do máximo. Esta é a importância desta refeição. E, como alimentos de indice glicemico mais elevado agilizam o acesso dos carboidratos ao corpo, são usados neste momento.

O segundo momento: a refeição 45 minutos antes do treino

Neste momento, o raciocínio é bem diferente:

Esta também tem o importante aspecto de recuperar ainda mais os estoques de energia, entretanto, saber lidar com o indice glicemico é de fundamental importancia também neste momento.

Deve-se fazer uma refeição menor (cerca de 1g de carboidratos por quilo de peso corporal), porém, de baixo indice glicemico, pois neste momento o corpo não se beneficiará se tiver a glicemia muito elevada, ele ficará lento, pesado. O melhor é garantir que este carboidrato seja absorvido devagar, fornecendo energia de forma gradual.

Também devem ser incluídas fontes de gorduras e proteínas.

Sobre as gorduras, sua ingestão antes do exercício resulta em melhor uso de gorduras durante o exercício, mas, segundo as pesquisas mais recentes, sem garantia de melhora do desempenho do treino

E, quanto às proteínas, estas garantem melhor recuperação e melhor desempenho no treino.

Andre Pellegrini
Nutricionista Esportivo
CRN 3a 13267

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print

Deixe um comentário

Categorias