Medicina esportiva

(11) 3050-5123

(11) 3887-5123

(11) 94010-7986

Slide background

Medicina esportiva

As lesões no ciclismo são comuns e podem ser prevenidas com medidas simples, como ajustar corretamente a bicicleta, dar condicionamento físico ao corpo e repousar.

 

Para os praticantes de ciclismo, uma das maiores preocupações são as possíveis lesões que podem ocorrer, seja por queda, esforço excessivo, ou até mesmo pelo uso de uma bicicleta não adequada ao corpo. Entre os principais problemas que um ciclista pode enfrentar capazes, inclusive, de afetar a performance no ciclismo, estão:

Quedas

Provavelmente o acidente mais comum entre os praticantes desse esporte, a queda faz parte da rotina de um ciclista. O procedimento a se tomar logo após uma queda é se acalmar e procurar por lesões ou quais regiões estão doendo.

Contusões na cabeça, mesmo sem a ocorrência do desmaio, exigem atendimento, sendo sempre recomendado o comparecimento a um posto de saúde e a procura de um médico especializado.

Estima-se que lesões na clavícula e fraturas no punho sejam as mais recorrentes entre os atletas, porém, na grande maioria dos casos não é necessário realizar procedimentos cirúrgicos. No prazo de seis semanas, em média, já é possível voltar à rotina após a autorização do médico especialista. O comum é que o ortopedista sugira descanso e imobilização para que o corpo possa se recuperar da queda.

Andar com luvas, capacete, joelheiras e cotoveleiras também é uma recomendação básica para todos os atletas.

Lombalgia

Conhecida, de maneira popular, como dor nas costas é uma das reclamações mais frequentes entre os ciclistas. Alguns estudos indicam que a lombalgia acontece devido a uma pressão excessiva nos discos da coluna. Essa pressão, inclusive, pode desencadear outros problemas, como hérnias e, até mesmo, fissuras de disco. 

Além disso, a tensão excessiva dos músculos da parte inferior das costas, mudando a postura do atleta, pode afetar outras partes do corpo, como o quadril e o púbis.

A lombalgia pode ser prevenida com alguns cuidados básicos, como atentar-se à posição em que se senta na bicicleta (deixando a altura do quadril boa e ajustando o guidão e o selim para o próprio corpo), além do fortalecimento da pélvis, do abdômen e dos músculos da bacia para manter a postura reta e evitar a lombalgia.

No caso de dor já presente, o ideal é parar o exercício e procurar um médico, visando identificar o problema e começar um tratamento específico para evitar que a lombalgia. O tratamento para lombalgia costuma envolver alongamentos, fisioterapia e o uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios.

Dor no joelho/Tendinite Patelar

As alterações nos joelhos, geralmente, acontecem pelo esforço repetitivo feito pelo atleta. Normalmente a tendinite patelar ocorre por um ajuste ruim feito no selim, deixando-o muito baixo e, assim, exercendo uma pressão excessiva na cartilagem da patela.

Já as dores laterais costumam acontecer por pedalar com os joelhos muito para dentro ou muito para fora. A melhor maneira de evitar que o problema da tendinite patelar aconteça é ajustando bem a altura do selim e do guidão da bicicleta, para que o joelho possa subir e descer de maneira reta, realizando o movimento de maneira saudável.

No caso das dores aparecerem, é preciso procurar ajuda médica. O paciente precisará de repouso e compressas de gelo associados a alongamento, fisioterapia e medicamentos como anti-inflamatórios.

Fascite plantar

A terrível sensação de queimação na sola do pé é causada pela fascite plantar. O problema pode ser percebido logo no começo do exercício e estima-se que possa ocorrer pela falta de aquecimento.

As pessoas mais suscetíveis ao problema são as que possuem pisadas mais “tortas” (pisada pronada e pisada supinada) e com pés cavos.

A dica para evitar a fascite plantar é utilizar tênis feitos para o seu tipo de pisada e ajustar bem a altura do banco. Uma boa postura aliada a um bom equipamento costumam resolver o problema.

Para os atletas que sofrem com fascite plantar, costuma-se indicar sessões de fisioterapia, compressas frias, uso de órtese e medicamentos anti-inflamatórios. Nos casos mais graves, é necessário realizar cirurgia.

Lesões musculares

As lesões musculares costumam aparecer no quadríceps (coxa) e acontecem por excesso de treino. A orientação para evitar lesões musculares é praticar alongamentos, além de musculação para aumentar a capacidade de carga dos músculos.

Repousar como maneira de prevenção também é importante, e entender que o repouso é um aliado do treino ajuda a evitar lesões musculares – fundamental para não comprometer o desempenho.

Em caso de lesão, como distensões, a dica é procurar um médico que, provavelmente, recomendará o método intitulado “PRICE”: proteção, repouso, gelo, compressão local e elevação do membro afetado.

Atendimento

(11) 3050-5123 / (11) 3887-5123

(11) 94010-7988

(11) 94010-7988 (WhatsApp)

Atendimento

(11) 3050-5123

(11) 3887-5123

(11) 94010-7988

Fale conosco

Queremos ouvir suas críticas e sugestões

Redes sociais

facebook2instagram2

INA - Instituto do Atleta

Rua Bento de Andrade, 252
Jd. Paulista - São Paulo, SP
CEP: 04503-001

(11) 3050-5123 / 3887-5123
(11) 94010-7988
(11) 94010-7988 (WhatsApp)

Horário de atendimento
Segunda a sexta - das 7h às 21h

Responsável Técnico

Dr. Fabiano Cunha
CRM: 87.103
- Ortopedia
- Especialista em ombro e joelho
- Ondas de choque